Mudar para continuar igual

Para quem não consegue lembrar ou que não era vivo nessa época, até meados da década de 1960 a missa era bem diferente do que é agora. Não havia participação de grupos de músicas, o padre celebrava de costas para a assembleia e em latim. As mudanças de rito abalaram a forma como a Igreja se inseria no mundo e iniciaram a partir da realização do Concílio Vaticano II (1962-1965), a maior reunião religiosa do século XX.

Principais pontos do Documento Final do Sínodo da Amazônia

Em meio a todas polêmicas e movimentos de apoio e protestos, o Sínodo Pan-Amazônico chegou ao fim em 27 de outubro, no Vaticano. O encontro reuniu cardeais, bispos, padres, religiosos, religiosas e especialistas com o Papa Francisco para debaterem sobre a atuação da Igreja Católica na região. O Documento Final do Sínodo da Amazônia confirmou diversas ideias levantadas pela Instrumento de Trabalho. Entre elas se destaca a possibilidade de um novo ministério para celebrar a eucaristia e da criação de um rito amazônico; o protagonismo feminino; e os esforços de ecumenismo e diálogo interreligioso.

Continuação: Entrevista com Dom Guilherme Werlang, bispo de Lages

Um olhar sobre sobre os pontificados de João Paulo, Bento e Francisco e a Reforma na Igreja | Os Santos Padres e a reforma da Cúria Romana e da Igreja são os assuntos da segunda parte da entrevista com dom Guilherme Antônio Werlang. Neste trecho, o bispo de Lages apresenta a continuação do Magistério da Igreja e dos preceitos do Concílio Vaticano II através dos pontificados de São João Paulo II, Bento XVI e Francisco. Dom Guilherme também fala da necessidade e importância da reforma da Cúria, de sua continuidade e da formação dos sacerdotes.

Pode me Chamar de Francisco: General Pedro Arrupe, o superior dos Jesuítas

Vigésimo sétimo sucessor de Santo Inácio de Loyola, o padre Pedro Arrupe foi o Superior Geral da Companhia de Jesus de 1965 a 1983. Apresentado na série Pode me Chamar de Francisco como General Arrupe, o sacerdote espanhol escolhe o jovem Jorge Mario Bergoglio para ser o Superior Provincial dos Jesuítas na Argentina e Uruguai entre 31 de julho de 1973 e 8 de dezembro de 1979.

O bispo está de camisa de clerygman cinza e cruz peitoral sentado à mesa. Ele olha para a esquerda com as mãos abertas enquanto fala. Ao fundo uma janela deixa entrar a luz na sala de reuniões.

Entrevista com Dom Wilson Jönck, Arcebispo da Arquidiocese de Florianópolis

Um Olhar sobre os Papas Bento e João Paulo e sobre a Igreja Arquidiocesana e em Santa Catarina | Conseguir um horário na agenda de um médico especialista pode exigir empenho e um tempo de espera. O que não imaginar da agenda de um arcebispo? Para marcar esta entrevista, aproveitei a vinda de Dom Wilson para Itajaí. Ele veio empossar o novo pároco de São Pedro, na Itaipava, padre Iseldo Scherer. Antes mesmo da missa começar, abordei nosso bispo na porta da igreja. Com sua característica sutileza, ele me ouviu e pediu gentilmente que eu ligasse para a Cúria na segunda-feira. Em menos de um mês, eu entrevistava e a Bruna Bertoldo fotografava o Arcebispo da Arquidiocese de Florianópolis na sala de reuniões da Cúria Metropolitana na capital do estado.

Pode me chamar de Francisco: Os cardeais da série: Aramburu, Quarracino e Bergoglio

A série original Netflix Pode me chamar de Francisco sobre a vida do primeiro papa latino americano apresenta em sua trama três cardeais. São os arcebispos de Buenos Aires Juan Carlos Aramburu, Antonio Quarracino e Jorge Mario Bergoglio, o protagonista da série. Durante as cenas do Conclave outros cardeais também aparecem, mas são apenas figurantes na história.