Resenha: Jesus de Nazaré, de Joseph Ratzinger

Estamos no ano de 2007 e o Papa Bento XVI surpreende o mundo ao publicar uma coletânea de livros sobre Jesus de Nazaré. A surpresa se encontra logo na capa, onde se lê Joseph Ratzinger e não Sua Santidade Bento XVI. Podemos afirmar que isso é no mínimo incomum.

Papas e as pestes, pragas, epidemias e pandemias na história: Peste Antonina

A pandemia de coronavírus COVID-19 afeta a todo o mundo e fez com que missas, procissões e demais atividades religiosas e pastorais fossem suspensas ou alteradas. No contexto político e religioso, o Papa Francisco se destaca com seu profetismo e liderança por meio de gestos de coragem e manutenção do isolamento social e de palavras de ânimo e conforto. Mas esta não é a primeira pandemia, nem epidemia a assolar Roma e o globo.

Pode me chamar de Francisco: o Papa é da Teologia da Libertação?

Muitos apontam o Papa Francisco como defensor ou correligionário de várias correntes ou ideologias. Por má fé, ou desconhecimento não é difícil achar termos como: Bergoglio Comunista, Papa Soviético, Francisco de Esquerda, Papa da Teologia da Libertação e muitos outros. Alguns ousam chamar o Pontífice de herege e até de anti-papa. No entanto, o que parece ser um consenso entre os especialistas e teólogos, é que Francisco é um Papa dos Pobres alicerçado pela chamada Teologia do Povo.

Principais pontos do Documento Final do Sínodo da Amazônia

Em meio a todas polêmicas e movimentos de apoio e protestos, o Sínodo Pan-Amazônico chegou ao fim em 27 de outubro, no Vaticano. O encontro reuniu cardeais, bispos, padres, religiosos, religiosas e especialistas com o Papa Francisco para debaterem sobre a atuação da Igreja Católica na região. O Documento Final do Sínodo da Amazônia confirmou diversas ideias levantadas pela Instrumento de Trabalho. Entre elas se destaca a possibilidade de um novo ministério para celebrar a eucaristia e da criação de um rito amazônico; o protagonismo feminino; e os esforços de ecumenismo e diálogo interreligioso.

Sínodo Pan-Amazônico é o novo desafio de Francisco para a condução da Igreja

Dono de grande carisma, o Papa Francisco parece passar pela sua primeira crise de imagem popular. O Sínodo Pan-Amazônico atrai a atenção dos católicos sobre o tema e deixa o Pontífice em maus lençóis. Instigados pelas redes sociais que levaram Bolsonaro ao Palácio do Planalto, os fiéis brasileiros passaram a enxergar o encontro sinodal como um evento político.

Na foto, Dom Frei Severino está sentado à mesa com as mãos postas.

Entrevista com Dom Frei Severino Clasen, bispo da Diocese de Caçador

Um olhar sobre os leigos na Igreja do Brasil | Dom Frei Severino Clasen é bispo de Caçador e presidente do Regional Sul 4 da Conferência Nacional do Bispos do Brasil, região que representa todo o estado de Santa Catarina. Sua entrevista foi concedida na quarta-feira, 14 de agosto, dia da semana em que o bispo atende na Paróquia Catedral São Francisco de Assis. A sala fica com a porta aberta, enquanto Dom Severino aguarda as pessoas sentado à mesa. Não há agendamento e nem preferências. Muito provável que neste dia eu e a repórter fotográfica Bruna Bertoldo fizemos duas jovens esperarem por um longo tempo na recepção por causa da duração da entrevista. Nesta, como em todas as outras da série Olhar Santa Catarina, o contato com o bispo durou mais de uma hora. Neste caso em específico, quase duas.

Continuação: Entrevista com Dom Guilherme Werlang, bispo de Lages

Um olhar sobre sobre os pontificados de João Paulo, Bento e Francisco e a Reforma na Igreja | Os Santos Padres e a reforma da Cúria Romana e da Igreja são os assuntos da segunda parte da entrevista com dom Guilherme Antônio Werlang. Neste trecho, o bispo de Lages apresenta a continuação do Magistério da Igreja e dos preceitos do Concílio Vaticano II através dos pontificados de São João Paulo II, Bento XVI e Francisco. Dom Guilherme também fala da necessidade e importância da reforma da Cúria, de sua continuidade e da formação dos sacerdotes.

A imagem mostra na primeira parte o Papa Francisco sorrindo com a mão direita no queixo. Acima da foto está escrito o nome do autor "Leonardo Boff". E abaixo está escrito "Francisco de Assis Francisco de Roma Um nova primavera na Igreja?". No outro lado, à direita, uma ilustração com São Francisco de Assis ao lado de uma pomba branca e com uma maçã na mãos esquerda. Ao fundo casas e um árvore florida. Acima da ilustração está escrito "Leonardo Boff". E abaixo está escrito "Francisco de Assis Francisco de Roma Um nova primavera na Igreja?".

Resenha: Francisco de Assis e Francisco de Roma: uma nova primavera na Igreja?, de Leonardo Boff

As ideias de um teólogo renegado | A eleição de Jorge Bergoglio como papa e a escolha do nome de Francisco motivou o controverso e renegado teólogo brasileiro Leonardo Boff a escrever mais uma vez sobre a Igreja Católica. De notória capacidade intelectual, Boff liderou a chamada Teologia da Libertação, vertente teológica muito difundida na América Latina nas décadas de 1970 e 1980. Como padre e religioso pediu afastamento em 1992, prestes a receber outra advertência pública da Congregação da Doutrina da Fé, deixando a Ordem dos Frades Menores (Franciscanos). Por isso, apesar de toda a polêmica envolvendo sua trajetória, Boff é alguém interessante a se ouvir quando sobre ao trono de Pedro um bispo latino-americano, que escolhe o nome de Francisco e, assim como ele, teve formação teológica em escolas alemãs.