Pode me Chamar de Francisco: Jorge Luis Borges e o Papa Francisco

Com o sonho de ser enviado como missionário para o Japão, o jovem jesuíta Jorge Bergoglio é enviado para ser professor em Santa Fé, na Argentina. A primeira missão do Papa Francisco como religioso foi ensinar literatura no Colégio Imaculada Conceição. Entre as iniciativas do professor retratadas em Pode me Chamar de Francisco, se destaca o inusitado convite a Jorge Luis Borges para participar das classes e o aceite do escritor cego para se deslocar da capital argentina até Santa Fé.

Sínodo Pan-Amazônico é o novo desafio de Francisco para a condução da Igreja

Dono de grande carisma, o Papa Francisco parece passar pela sua primeira crise de imagem popular. O Sínodo Pan-Amazônico atrai a atenção dos católicos sobre o tema e deixa o Pontífice em maus lençóis. Instigados pelas redes sociais que levaram Bolsonaro ao Palácio do Planalto, os fiéis brasileiros passaram a enxergar o encontro sinodal como um evento político.

Continuação: Entrevista com Dom Frei Severino Clasen, bispo da Diocese de Caçador

Um olhar em defesa da CNBB, das reformas de Francisco e da criação de novas dioceses | Neste segundo trecho da entrevista Dom Frei Severino Clasen defende a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e aponta como heréticos os grupos que não estão em comunhão com a Igreja. O bispo de Caçador também falou sobre a polêmica da acusação de ter feito campanha para o candidato Fernando Haddad (PT) em 2018. O Papa Francisco e a criação de mais duas dioceses e arquidioceses em Santa Catarina também estiveram em pauta.

Na foto, Dom Frei Severino está sentado à mesa com as mãos postas.

Entrevista com Dom Frei Severino Clasen, bispo da Diocese de Caçador

Um olhar sobre os leigos na Igreja do Brasil | Dom Frei Severino Clasen é bispo de Caçador e presidente do Regional Sul 4 da Conferência Nacional do Bispos do Brasil, região que representa todo o estado de Santa Catarina. Sua entrevista foi concedida na quarta-feira, 14 de agosto, dia da semana em que o bispo atende na Paróquia Catedral São Francisco de Assis. A sala fica com a porta aberta, enquanto Dom Severino aguarda as pessoas sentado à mesa. Não há agendamento e nem preferências. Muito provável que neste dia eu e a repórter fotográfica Bruna Bertoldo fizemos duas jovens esperarem por um longo tempo na recepção por causa da duração da entrevista. Nesta, como em todas as outras da série Olhar Santa Catarina, o contato com o bispo durou mais de uma hora. Neste caso em específico, quase duas.

Francisco em Maurício: Bendito o que vem em nome do Senhor!

Com ramos nas mãos, uma multidão de fiéis recebeu o Papa Francisco no Monumento Maria, Rainha da Paz para a missa em Porto Luís, capital das Ilhas Maurício. Depois da emocionante passagem por Moçambique e Madagascar, o Santo Padre foi recebido com a alegria semelhante a narrada nos evangelhos na entrada de Jesus em Jerusalém.

Francisco em Madagascar: uma viagem de muitos gestos e poucas palavras

O Papa Francisco está em Madagascar desde a última sexta-feira (06). Depois da visita de três dias a Moçambique, o Pontífice seguiu para a a ilha africana e participou de encontros com autoridades civis e eclesiásticas, jovens e trabalhadores desde o sábado (07). Nos 12 compromissos da agenda oficial no país, o Santo Padre deixou de lado grandes discursos e homilias e até suas mensagens preparadas com antecedência para falar de improviso, cumprimentar as pessoas e ouvir suas histórias.

Francisco em Moçambique: é preciso dar gestos concretos de amor

O Papa Francisco está no seu terceiro dia da Viagem Apostólica para o continente africano. Na manhã desta sexta-feira (06), o Santo Padre visitou o Hospital de Zimpeto e presidiu uma missa em um estádio lotado em Maputo, capital de Moçambique. Durante a celebração, o Pontífice convidou os fiéis a buscarem a paz por meio … Continue lendo Francisco em Moçambique: é preciso dar gestos concretos de amor