Continuação: Entrevista com Dom Frei Severino Clasen, bispo da Diocese de Caçador

Um olhar em defesa da CNBB, das reformas de Francisco e da criação de novas dioceses | Neste segundo trecho da entrevista Dom Frei Severino Clasen defende a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e aponta como heréticos os grupos que não estão em comunhão com a Igreja. O bispo de Caçador também falou sobre a polêmica da acusação de ter feito campanha para o candidato Fernando Haddad (PT) em 2018. O Papa Francisco e a criação de mais duas dioceses e arquidioceses em Santa Catarina também estiveram em pauta.

Na foto, Dom Frei Severino está sentado à mesa com as mãos postas.

Entrevista com Dom Frei Severino Clasen, bispo da Diocese de Caçador

Um olhar sobre os leigos na Igreja do Brasil | Dom Frei Severino Clasen é bispo de Caçador e presidente do Regional Sul 4 da Conferência Nacional do Bispos do Brasil, região que representa todo o estado de Santa Catarina. Sua entrevista foi concedida na quarta-feira, 14 de agosto, dia da semana em que o bispo atende na Paróquia Catedral São Francisco de Assis. A sala fica com a porta aberta, enquanto Dom Severino aguarda as pessoas sentado à mesa. Não há agendamento e nem preferências. Muito provável que neste dia eu e a repórter fotográfica Bruna Bertoldo fizemos duas jovens esperarem por um longo tempo na recepção por causa da duração da entrevista. Nesta, como em todas as outras da série Olhar Santa Catarina, o contato com o bispo durou mais de uma hora. Neste caso em específico, quase duas.

Pode me Chamar de Francisco: bispos, padres e religiosos perseguidos na ditadura argentina

Enrique Angelelli, Franzs Jalics e Orlando Yorio são os três perseguidos pela ditadura militar argentina destacados na série Pode em Chamar de Francisco. Eles são apenas três personagens ligados a Jorge Mario Bergoglio e simbolizam uma infinidade de bispos, padres, religiosos e leigos católicos vítimas do regime ditatorial imposto na Argentina entre os anos de 1976 e 1981. Sob o golpe do general Jorge Videla, mais 30 mil pessoas foram mortas e milhares de torturados e desaparecidos.

Continuação: Entrevista com Dom Rafael Biernaski, bispo de Blumenau

Um olhar sobre a reforma da Cúria e sua Diocese de Blumenau | Nesta segunda parte da entrevista Dom Rafael Biernaski fala de maneira direta e específica da reforma da Cúria Romana, de seu pastoreio diante de sua diocese e, também, de Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau. Esta entrevista é uma continuação independente de Um olhar sobre o Vaticano, a Cúria Romana e os Papas João Paulo II, Bento XVI e Francisco com Dom Rafael. O conteúdo também faz parte da série jornalística Olhar Santa Catarina, com os bispos titulares da 10 dioceses catarinenses. Leia também a entrevista com Dom Wilson Tadeu Jönck, arcebispo de Florianópolis.

A imagem mostra na primeira parte o Papa Francisco sorrindo com a mão direita no queixo. Acima da foto está escrito o nome do autor "Leonardo Boff". E abaixo está escrito "Francisco de Assis Francisco de Roma Um nova primavera na Igreja?". No outro lado, à direita, uma ilustração com São Francisco de Assis ao lado de uma pomba branca e com uma maçã na mãos esquerda. Ao fundo casas e um árvore florida. Acima da ilustração está escrito "Leonardo Boff". E abaixo está escrito "Francisco de Assis Francisco de Roma Um nova primavera na Igreja?".

Resenha: Francisco de Assis e Francisco de Roma: uma nova primavera na Igreja?, de Leonardo Boff

As ideias de um teólogo renegado | A eleição de Jorge Bergoglio como papa e a escolha do nome de Francisco motivou o controverso e renegado teólogo brasileiro Leonardo Boff a escrever mais uma vez sobre a Igreja Católica. De notória capacidade intelectual, Boff liderou a chamada Teologia da Libertação, vertente teológica muito difundida na América Latina nas décadas de 1970 e 1980. Como padre e religioso pediu afastamento em 1992, prestes a receber outra advertência pública da Congregação da Doutrina da Fé, deixando a Ordem dos Frades Menores (Franciscanos). Por isso, apesar de toda a polêmica envolvendo sua trajetória, Boff é alguém interessante a se ouvir quando sobre ao trono de Pedro um bispo latino-americano, que escolhe o nome de Francisco e, assim como ele, teve formação teológica em escolas alemãs.