Sínodo Pan-Amazônico é o novo desafio de Francisco para a condução da Igreja

Dono de grande carisma, o Papa Francisco parece passar pela sua primeira crise de imagem popular. O Sínodo Pan-Amazônico atrai a atenção dos católicos sobre o tema e deixa o Pontífice em maus lençóis. Instigados pelas redes sociais que levaram Bolsonaro ao Palácio do Planalto, os fiéis brasileiros passaram a enxergar o encontro sinodal como um evento político.

Continuação: Entrevista com Dom Frei Severino Clasen, bispo da Diocese de Caçador

Um olhar em defesa da CNBB, das reformas de Francisco e da criação de novas dioceses | Neste segundo trecho da entrevista Dom Frei Severino Clasen defende a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e aponta como heréticos os grupos que não estão em comunhão com a Igreja. O bispo de Caçador também falou sobre a polêmica da acusação de ter feito campanha para o candidato Fernando Haddad (PT) em 2018. O Papa Francisco e a criação de mais duas dioceses e arquidioceses em Santa Catarina também estiveram em pauta.

Pode me Chamar de Francisco: Mães da Praça de Maio

Os primeiros passos da Associação Mães da Praça de Maio (Madres de Plaza de Mayo) são retratadas na série Pode me Chamar de Francisco quando a ex-chefe e amiga de Bergoglio Esther Ballestrino perde sua filha Ana María Careaga. A química passa a se encontrar com mães vítimas da Ditadura Argentina. Esses primeiros encontros são … Continue lendo Pode me Chamar de Francisco: Mães da Praça de Maio

Pode me Chamar de Francisco: General Pedro Arrupe, o superior dos Jesuítas

Vigésimo sétimo sucessor de Santo Inácio de Loyola, o padre Pedro Arrupe foi o Superior Geral da Companhia de Jesus de 1965 a 1983. Apresentado na série Pode me Chamar de Francisco como General Arrupe, o sacerdote espanhol escolhe o jovem Jorge Mario Bergoglio para ser o Superior Provincial dos Jesuítas na Argentina e Uruguai entre 31 de julho de 1973 e 8 de dezembro de 1979.

Igreja aguarda reforma da Cúria e Papa age com cautela

Esperada para o último sábado (29), a publicação da Constituição Apostólica Praedicate Evangelium (Proclamar o Evangelho) ficou para mais tarde. O dia foi marcado pela tradicional e solene liturgia de São Pedro e São Paulo, mas se tornou 'comum' para quem esperava a Reforma da Cúria Romana. As últimas notícias são de que o C6, grupo de cardeais responsáveis pela reforma, entregaram a redação final do texto no sábado, após revisões e alterações solicitadas por especialistas.

Pode me Chamar de Francisco: bispos, padres e religiosos perseguidos na ditadura argentina

Enrique Angelelli, Franzs Jalics e Orlando Yorio são os três perseguidos pela ditadura militar argentina destacados na série Pode em Chamar de Francisco. Eles são apenas três personagens ligados a Jorge Mario Bergoglio e simbolizam uma infinidade de bispos, padres, religiosos e leigos católicos vítimas do regime ditatorial imposto na Argentina entre os anos de 1976 e 1981. Sob o golpe do general Jorge Videla, mais 30 mil pessoas foram mortas e milhares de torturados e desaparecidos.

A imagem mostra o ator Darío Grandinetti interpretando o cardeal Jorge Bergoglio.

Resenha: Papa Francisco: conquistando corações

Francisco, um homem de acolhida | Jorge Bergoglio, o Papa Francisco, é apresentado no filme argentino em todos os seus aspectos de singularidade e carisma. Sua dedicação às pessoas, seu modo simples de ser e agir, sua simpatia são destacados na trama com elementos delicados como no caso do lavar as próprias roupas enquanto está hospedado em Roma. Todos as características mostradas de forma incisiva em Pode me chamar de Francisco, são divulgadas com apelo mais sentimental em Papa Francisco: conquistando corações.

Pode me Chamar de Francisco: o Papa e a devoção à Nossa Senhora Desatadora dos Nós

Em meio a neve na Alemanha, Jorge Mario Bergoglio entra em um templo para rezar. O padre argentino estudante de Teologia buscou o refúgio da solidão em Augsburgo na igreja. Assim que entra, algo familiar lhe enche os ouvidos, uma Ave-Maria em espanhol. O jesuíta encontra uma venezuelana invocando a Virgem Desatadora dos Nós. De uma simples conversa entre dois latino-americanos em terras europeias retratada na série nasceu a marcante devoção do Papa Francisco.

A foto mostra dom Rafael em entrevista.

Entrevista com Dom Rafael Biernaski, bispo de Blumenau

Um olhar sobre o Vaticano, a Cúria Romana e os papas João Paulo II, Bento XVI e Francisco | Dom Rafael Biernaski viveu grande parte de sua vida em Roma. De estudante de teologia na década de 1980, o então sacerdote se torna oficial da Congregação para os Bispos, importante dicastério da Cúria Romana responsável pela nomeação e transferências de prelados em todo o mundo. Fui até Blumenau para saber um pouco mais da vida e da visão deste homem marcado pelo serviço no Vaticano. Com as fotos de Isabela Corrêa, neste primeiro trecho da entrevista o bispo da Diocese de Blumenau deixa a sua visão sobre os Papas João Paulo II, Bento XVI do qual foi colaborador e do atual Papa Francisco. A definição da Cúria Romana e de seus serviços são revelados com a inteligência e sutileza características de Dom Rafael.

Francisco na Bulgária: “Deus chama, surpreende e ama”

O Papa Francisco iniciou neste domingo (05) sua viagem apostólica a Bulgária e Macedônia do Norte. Durante a manhã desembarcou em Sófia, capital búlgara, para seus primeiros compromissos. Se encontrou com as autoridades do país e com o Patriarca Neofit. À tarde presidiu uma missa na na Praça Knyaz Alexandar I e apresentou três realidade divinas diante da humanidade: "Deus chama, Deus surpreende, Deus ama". Pediu também uma "Igreja jovem, uma pessoa jovem, não pela idade, mas pela força do Espírito" para testemunhar Cristo.